Hábitos autodestrutivos: como identificá-los e eliminá-los

Hábitos
Hábitos

Tomar atitudes que de alguma forma lhe cause feridas, claramente evidencia comportamento contraditório que não se espera de qualquer pessoa.

Porém este impulso negativo, que todos nós temos, são mais evidentes nas pessoas autodestrutivas.

A melhor maneira de contornar as consequências das ações baseadas em hábitos autodestrutivos, é evitá-las.

Mas isso só é possível se você souber quais são os seus hábitos autodestrutivos. E para ajudá-lo a se livrar desses hábitos apresentaremos a seguir maneiras de identificá-los e eliminá-los.

5 maneiras de identificar os hábitos autodestrutivos

As atitudes autodestrutivas normalmente ocorrem de maneira inconsciente. Por isso, sua identificação deverá ser realizada através dos seguinte passos:

Evite valorizar o que não tem

A alimentação de desejos é um elemento importante na vida, porém deixar de lado o que está presente em seu cotidiano pode gerar sentimentos como amargura, incapacidade e insuficiência.

Não criar e alimentar desejos não é uma atitude saudável, mas viver somente em um mundo inalcançável também não é.

Saia de sua zona de conforto

Permita-se lançar mão de mudanças. Inicialmente podem ser mudanças pequenas, mas que de alguma forma te desafie. 

Muitas vezes essa mudança nos apresenta um visão diferente do mundo, permitindo até encontrar soluções para muitos problemas.

A falta de desafios fará com que você se acomode, e o comodismo pode ser um gatilho para doenças. Encontre o ponto de equilíbrio.

Se preocupe com o que realmente importa

Evite dar importância demais para os pensamentos de outras pessoas. É característica humana basear suas ações na opinião alheia.

Especialistas apontam que este tipo de comportamento pode ser fonte para baixa autoestima e autoconfiança, e também pode lhe deixar mais vulnerável às críticas.

Deixar a insegurança de lado significa evitar problemas em momentos decisivos. Você precisa se preocupar mais com o que você é e deixar de lado aquilo que está na moda, mas que não é relevante para suas decisões.

Valorize seus feitos e evite a vitimização

Frequentemente o ser humano apresenta uma tendência à vitimização sem perceber o quão prejudicial esta atitude se torna.

Você não deve rejeitar seus feitos. Eles são responsáveis diretos por sua autoconfiança. Ao se vitimizar você terá atitudes cada vez mais conservadoras e,  em alguns momentos, descabidas.

Você será pautado por sua incapacidade e fraqueza, gerando menosprezo daqueles que lhe cercam.

Evite a transferência de culpa

Culpar a sua estrutura de trabalho, a burocracia, o ambiente que existe em sua casa, seus relacionamentos. 

É comum no comportamento de algumas pessoas transferir a culpa para terceiros, como se estes fossem os culpados por suas frustrações.

O medo da ousadia é responsável por essa atitude, o que leva, inevitavelmente, a conclusões equivocadas na maioria das vezes.

Saber identificar quais consequências foram originadas por suas ações, e o que foi influenciado pelo o que está a seu redor é fundamental para afastar essa necessidade de transferência de culpa.

A mudança de hábito não é uma jornada fácil, mas também não é impossível de ser realizada.

Cabe a você decidir o momento de mudar, e principalmente, entender os efeitos positivos que essa mudança pode causar.

A mudança de comportamento além do comprometimento, exige o desapego da vaidade e do medo de reações contrárias às suas expectativas.

Siga essas dicas, e gradualmente você verá a importância de saber se reconhecer como um ser com qualidades e defeitos, mas sempre em busca da evolução.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *