O que é o banco de ideias e qual a melhor forma de utilizá-lo

O que é o banco de ideias e qual a melhor forma de utilizá-lo
Banco de ideias e a melhor forma de utilizá-lo

Uma ideia é o passo inicial para o andamento de um projeto. Mas independente da etapa em que este projeto esteja as ideias deverão se fazer presentes.

E com isso surge a grande dúvida: como estabelecer e alimentar o fluxo de ideias? Elaborando um banco de ideias, pois será possível estimular a inovação e manutenção de um ambiente colaborativo.

A partir desta estrutura todo o caos criativo será convertido em novos produtos ou serviços ou melhorias de processos.

Neste artigo vamos ajudá-lo a compreender o que de fato e um banco de ideias, a sua importância no cotidiano e de que forma você poderá implantá-lo em seu negócio.

O que é um banco de ideias?

Um banco de ideias é uma metodologia voltada para captação, geração e armazenamento das ideias. Normalmente conta com um grupo comandado por um facilitador.

Esta técnica estimula a criatividade dos participantes estabelecendo conexões entre ideias distintas em um cenário focado no pensamento livre.

O foco é ampliar a gama de soluções para os problemas apresentados. Aqui ainda não cabe a classificação das ideias.

A importância de um banco de ideias 

Frequentemente os envolvidos em projetos tendem a esperar uma manifestação de sua inspiração para dar vasão à um novo insight.

Porém ao elaborar um banco de ideias você consegue direcionar as pessoas a dedicação de tempo e esforço para os gaps que precisam de resoluções, mesmo que essas pessoas não estejam relacionadas a um processo de negócio.

A coleta de opiniões sugestões e possíveis soluções se torna mais rápida e fácil. Este elemento é muito prático pois dispensa o envio de diversas mensagens e converte os membros da equipe em moderadores, guias e tomadores de decisão.

Por fim a criação e alimentação de um banco de ideias permite o estímulo à criatividade, força responsável pelo sucesso de grandes negócios, além de auxiliar na descoberta de alternativas de maior valor para resolução de pendências.

6 passos para implantação de um banco de ideias

A partir desta etapa vamos abordar 6 passos que vão lhe auxiliar na criação e implantação de um banco de ideias em seu negócio.

Fornecer o contexto do projeto com a devida antecedência 

Nesta etapa é fundamental disponibilizar as informações pertinentes ao projeto com no mínimo dois dias úteis de antecedência à reunião com o time responsável.

Desta forma os integrantes terão tempo hábil para providenciar material, realizar as devidas pesquisas e até mesmo estimular o pensamento calmamente.

Se você considerar necessário forneça as fontes de leitura ou as informações que estejam no contexto para auxiliar na definição do objetivo do banco de ideias. Esta ação tende a facilitar a compreensão do escopo do que você resolverá.

Reservar local apropriado para estimular a geração de ideias

De preferência à uma sala que não seja utilizada para as reuniões formais. É extremamente estimulante a presença de um quadro com diversas palavras, formando uma nuvem, além de texturas e imagens que possuem associação com o tópico em discussão.

Esta sala deve ser um ambiente arejado, com boa iluminação, silencioso e priorizando o conforto. Desta forma os integrantes da equipe mantém o foco, evitando distrações e voltados ao pensamento fora da caixa.

Se escolher realizar a reunião em locais externos, agende com antecedência, permitindo à todos os envolvidos tempo para se organizar.

Selecionar pessoas certas para ideias certas

Ao trabalhar na gestão de equipes com altos níveis de criatividade é necessário reduzir o máximo o risco de dispersão, já que trabalhar com muitos colaboradores pode tirar o foco da resolução. Procure limitar a reunião à no máximo 10 pessoas.

Você também deverá levar em consideração a presença de colaboradores de nível executivo muito alto de uma maneira que impeça a intimidação dos demais integrantes do time.

Compartilhar a ideia mais improvável

Ao iniciar a reunião procure anotar a ideia mais bizarra em um quadro com o objetivo de deixar claro que não há limites para encontrar a melhor opção.

Este é o momento de estimular a liberdade de expressão e a argumentação sobre as impressões.

Aqui não cabe rotular uma ideia como ruim. Esta análise é realizada ao final do processo. Desta forma liberte-se de todo e qualquer parâmetro.

Deixar fluir através de improvisação e jogos de palavras

A utilização de jogos de palavras é uma excelente maneira para o agrupamento de sugestões. Escreva algo no quadro e peça que os colaboradores digam a primeira ideia que vier a mente.

Exija rapidez nas respostas pois o objetivo é estimular a espontaneidade. Nomes derivados de outros também só ótimas inspirações.

Classificar as ideias

A classificação é o momento em que você decide quais ideias valem a pena abraçar e quais devem ser deixadas de lado.

Antes de tudo, é bom escolher a maneira como as sugestões são classificadas para que ninguém se sinta excluído do grupo.

Às vezes, é bom levar em consideração alguns exemplos que potencialmente serão rejeitados, como ideias que fogem do tema proposto, por exemplo.

Isso serve de alerta para as pessoas continuarem participando ativamente de discussões futuras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *