O que é o PDI? Como desenvolvê-lo e aplicá-lo no seu cotidiano

Projeção do plano de desenvolvimento individual
Plano de desenvolvimento individual

O desenvolvimento, nos dias de hoje, é um dos assuntos mais debatidos entre profissionais de recursos humanos.

O aprimoramento tem se tornado, constantemente, uma necessidade, e não mais uma opção de livre escolha, seja pessoal ou profissionalmente falando.

Mas para que o desenvolvimento ocorra de maneira sustentável e assertiva, alguma ações precisam ser tomadas.

E isso só pode acontecer se houver um plano de ação que permita o desenho de cada ação e suas específicas consequências.

Com base nisso, nas linhas a seguir, abordaremos do que se trata um PDI e como desenvolvê-lo.

O que é o PDI

Um plano de desenvolvimento individual, esta é a definição da sigla PDI.

Este plano é composto por uma série de ações, diagnósticos e prognósticos, que tem o objetivo de sugerir uma mudança no comportamento, no desenvolvimento das habilidades ou em ambos.

O PDI sempre busca a adaptação à modelos mais próximos ao contexto no qual a pessoa se encontra.

Objetivos, meios de atingimento de metas e o modo de mensuração das ações propostas devem ser delimitados, a fim de especificar em seu início mínimas áreas de desenvolvimento e o seu período determinado de tempo, apontando sempre para uma mudança futura.

Esta mudança precisa estar situada num ponto de interseção que exista entre interesses x forças/fraquezas x ambições.

O plano sempre deverá estar equilibrado entre vida profissional e pessoal, sem possibilidade de pender para qualquer um dos lados.

Mas por que o PDI é tão importante?

O PDI é uma ferramenta tão importante, que lhe permite a preparação para futuros desafios, sejam eles pessoais ou profissionais.

Com certeza em seu passado, existem momentos, onde por algum motivo, seus objetivos não foram conquistados.

Mas se hoje você se recordar de um desses momentos, com certeza verá uma solução que naquele instante você não conseguiu enxergar.

Isso ocorre porque você conseguiu desenvolver habilidades e competências que hoje se adequam mais àquele momento.

Por isso o PDI se torna seu aliado, pois permite dar um norte nas ações necessárias à sua evolução e por consequência ao atingimento de seus objetivos.

A criação do PDI

O primeiro passo para criação do PDI é a realização de um diagnóstico, através do qual possam ser identificadas as habilidades que a pessoa já possua.

Com base nessa identificação, seguimos para o segundo passo, que é a ordenação das aspirações e metas.

O que a pessoa deseja, como se vê no futuro a curto, médio e longo prazo.

Cabe destacar aqui que o estabelecimento de prazos para alcance destas metas é fundamental para que o PDI não seja perdido e a pessoa deixe de perceber sua evolução.

O terceiro passo para criação do PDI é verificar e validar se para cada aspiração determinada existe uma habilidade correspondente.

Na ausência da habilidade, o PDI torna-se a ferramenta que ocupará esta lacuna.

O plano de desenvolvimento individual fica responsável por trabalhar nesses espaços existentes entre o aprimoramento e potencialização de habilidades instauradas.

Sobre o PDI também recai a responsabilidade de promover habilidades latentes, de uma maneira que supra possíveis GAPs, tornando viável o alcance dos objetivos estabelecidos.

É recomendado que, inicialmente, o foco do PDI seja em 3 novas habilidades, no máximo, e a cada novo período de mensuração (que possui uma variação de acordo com os objetivos determinados), valide-se a necessidade e possibilidade de inclusão de novas habilidades.

Desta forma é possível aumentar a eficácia e eficiência de cada esforço dedicado.

Cabe ratificar a necessidade do objetivo estar, essencialmente, na interseção entre a vida pessoal, os desejos profissionais e as habilidades que você já possui e as que pretende desenvolver.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *